Torta mousse de maracujá

12/01/2016 by Lena

DSC03047

 

Bem, Feliz Ano Novo queridos e queridas!

 

Este ano prometi a mim e  a vocês que eu voltaria ao blog com muito mais frequência do que no ano passado, e  postei nas redes sociais uma foto desta torta que fiz no último domingo e perguntei se gostariam que eu fizesse post. Muita gente pediu, então vim correndo preparar pra não deixar janeiro passar <3

DSC03051

Esta torta mousse é uma delícia e tem um corte perfeito.

Mas nesta versão ela é uma excelente sobremesa e ainda dá pra guardar pra comer no dia seguinte ou dar uma fatia pros seus convidados levarem hahaha!

Tenho dois hortifrutis do meu lado e é bem fácil comprar maracujá, wafer, leite condensado, creme de leite fresco, enfim, todos os ingredientes que precisava.

Mas eu sei da dificuldade que é encontrar creme de leite fresco em muitas cidades e regiões brasileiras, então resolvi nas “Dicas da Lena” dar uma receitinha de mousse pra fazer com creme de leite em lata. Fica ótimo também!

DSC03045

Sobre a bolacha wafer pra fazer a base da torta, não substitua. Se você nunca usou este tipo, vai se surpreender com o resultado.

Trabalhosa? Sim, um pouco. Tem algumas camadas, mas eu sempre digo que nada na vida se compara ao carinho que colocamos em um doce pra dar aos nossos queridos.

Isso é puro amor e não tem como ser melhor!

 

Vivam 2016 com mais momentos desses. Vocês jamais se arrependerão : )))

 

Para cerca de 8 a 10 boas fatias:

 

Ingredientes:

da base:

– 2 pacotes de bolacha wafer de baunilha
– 2 colheres-medidas de manteiga (colher-medida padrão, niveladas com a faca)

da mousse:

– 1 xícara de suco de maracujá fresco, puro, coado.
– 500 ml de creme de leite fresco
– 1-1/2 lata de leite condensado
– 1 envelope e meio de gelatina em pó sem sabor diluída em 5 colheres (sopa) de água fria

do mingau de coco:

– 2 caixinhas de pó para pudim de coco
– 3 xícaras de leite
– 1 vidro de leite de coco
– 1 colher (chá de baunilha)

da camada de sementes de maracujá:

– polpa com sementes de 1 maracujá
– 2-1/2 xícaras de água
– 2/3 de xícara de açúcar
– 1/2 de xícara de maisena

Preparo:
da base da torta:

Processe as bolachas até ficarem bem moídas. Acrescente a manteiga e processe mais alguns segundos.
Pressione bem no fundo de uma forma redonda de aro removível de cerca de 26 cm de diâmetro.
Leve ao forno pré-aquecido a 170 graus, por 15 minutos. Deixe esfriar (eu coloco no freezer enquanto preparo a mousse).

da mousse:

Numa tigela, misture com um fouet ou uma espátula, o leite condensado e o suco de maracujá. Reserve.
Bata o creme de leite em ponto de chantilly firme.
Acrescente a mistura de leite condensado/maracujá ao chantilly e bata na velocidade mínima da batedeira só até misturar. Raspe as bordas da tigela da batedeira com uma espátula de silicone.
Numa tigelinha, coloque a água mineral fria, polvilhe a gelatina e misture bem com um garfo. Leve ao microondas por 20 segundos na potência máxima. Retire, mexa com o garfo e volte ao micro por mais 5 segundos. Não mais que isso pois se gelatina ferver perde o poder de gelificação.
Ligue a batedeira na velocidade média e acrescente rapidamente a gelatina derretida. Bata até incorporar bem. Raspe as bordas da tigela com uma espátula.
Despeje a mousse na forma preparada com a base e leve ao freezer por uns 30 minutos ou até firmar.
Enquanto isso prepare o pudim de coco e a cobertura.

do pudim de coco

Misture todos os ingredientes numa panela e leve ao fogo mexendo com um fouet até engrossar bem. Transfira para uma tigela e coloque plástico filme para não criar película. Leve ao freezer até esfriar (não deixe gelar). Retire o plástico e mexa bem para ficar cremoso. Coloque sobre a mousse.

da cobertura de maracujá com sementes:

Numa panelinha coloque a polpa de maracujá com sementes, 2 xícaras de água, o açúcar e leve ao fogo. Deixe ferver em fogo baixo até que você perceba que a polpa se soltou da volta das sementes (cerca de 5/6 minutos).
Numa jarrinha medidora dissolva bem a maisena com meia xícara de água e acrescente aos poucos na calda de maracujá da panela (chama mínima do fogão e mexa constantemente com uma espátula para não empelotar).

Ferva em fogo mínimo até engrossar. Cerca de 4/5 minutos.
Transfira para um recipiente de vidro e deixe esfriar para poder colocar por cima do pudim de coco ( eu coloco no freezer e mexo algumas vezes para esfriar rapidamente.)
Deixe a torta por no mínimo 4 horas na geladeira para firmar bem.

– Para desenformar a torta:

Molhe com água quente, um pano de copa limpo e torça.
Enrole o pano em toda a volta da forma para aquecer levemente o aro e a mousse começar a desgrudar das bordas.
Após uns 3 minutos passe uma faca sem serra (a serra marca a mousse..) em toda a volta entre a torta e a borda da forma.
Abra o aro da forma e leve a torta com o fundo da forma por cerca de 40 minutos ao freezer, para que a base da torta esteja mais durinha.

Após esse tempo, retire do freezer posicione o prato de servir ao lado da torta.
Enfie duas espátulas grandes (uma de cada lado) por baixo da base de massa da torta. Com cuidado, levante a torta com as espátulas e transfira para o prato de servir.
Pode ficar na geladeira até 12 horas antes de servir, para que a base continue crocante.
Sirva gelada!

=================

Dicas da Lena:

– Neste post já fui escrevendo algumas dicas ao longo da receita, então abaixo vai a mousse de maracujá com creme de leite de lata:

– Bata 03 claras em neve com uma pitada de sal e reserve em outra tigela. Na mesma tigela da batedeira (não precisa lavar), coloque uma lata de meia de leite condensado, 02 latas de creme de leite sem soro. Bata por 30 segundos. Raspe as bordas e acrescente o suco de maracujá e a gelatina (dissolvida como na receita do post) e bata por mais uns segundos. Acrescente as clara em neve e misture à mão, com uma espátula. Pronto! Agora é só continuar a receita!

–  Se usar uma forma menor lembre-se que a quantidade da mousse deverá deixar espaço na altura da torta para caber o pudim de coco e a cobertura. O ideal é usar no tamanho indicado.

– Pode substituir o pudim de coco pelo de baunilha e não use o leite de coco. Use 4 xícaras de leite.

– Gostar de um doce mais ou menos azedinho é muito pessoal. Particularmente eu gosto mais ácida do que estava esta, mas nem todos preferem. Experimente a mousse e veja se prefere mais ou menos azedinha ajustando a quantidade de suco. O mesmo para a cobertura que você pode colocar mais ou menos água.

Print Friendly
Compartilhar/Favoritos

Brownies com brigadeiros de doce de leite

24/11/2015 by Lena

 

 

image

 

Recentemente resolvi enrolar uns brigadeiros de doce de leite e pensei: e se eu colocar dentro de um brownie – será que dá certo?

Deu SUPER certo!

image
O brownie leva mais farinha de trigo do que as minhas outras duas receitas do blog, permitindo um corte melhor, aproveitando todas as laterais, e igualmente úmido e deliciosamente “chewy”!

image

Os brigadeiros mantiveram seus formatos, e cada mordida era uma surpresa entre duas delícias. Divino.
Fiquei tão feliz com o resultado que fiz uma enquete nas redes sociais pra saber se as pessoas queriam que eu fizesse post e nunca recebi tanto retorno! Siiiimmm !!!!

image

Alguns amigos ganharam pedacinhos e foram unânimes no fato de que ele estava delicioso e merecia um post!

image

Não consegui postar antes pois eu estava viajando mas eis todos os segredos dessa maravilha que divido com vocês abaixo, inclusive os segredos do corte na “Dicas da Lena”!

 

Para cerca de 30 quadrados:

Ingredientes:

do brownie:

– 2/3 de xícara de manteiga sem sal
– 4 ovos
– 1-1/3 xícara de açúcar mascavo
– 2/3 de xícara de farinha de trigo peneirada
– 1/3 de xícara de cacau em pó
– 300 grs de chocolate meio amargo picado
– 1/2 colher (chá de sal)
– 1 colher (chá) de extrato de baunilha

do brigadeiro de doce de leite:

– 1 lata de leite condensado cozida na panela de pressão por 40 minutos após apitar)
– 1 lata de leite condensado
– 1 colher (chá) de manteiga
– Granulados para enrolar os brigadeiros

Preparo:

dos brigadeiros de doce de leite:

Numa panela misture todos os ingredientes.
Leve ao fogo médio mexendo sempre com uma espátula de silicone até o ponto de brigadeiro ( faça o “teste do pires que explico no meu post de brigadeiro de chocolate belga: leve um pires ao freezer e quando achar que está no ponto, coloque meia colher de chá do brigadeiro, volte ao freezer por 2 minutos e veja se está bom par enrolar. Se ainda estiver mole, volte ao fogo por mais uns minutos.)
Deixe esfriar num prato untado com manteiga e enrole os brigadeiros. O meu consegui 35 unidades e minha forma tem cerca de 32 x 25 cm.
Reserve os brigadeiros.

do brownie:

Pré-aqueça o forno em 170° C.

Unte uma assadeira de cerca de 32 x 25 cm.
Recorte dois pedaços de papel manteiga: um para forrar a forma no sentido do comprimento e o outro no sentido da largura, sobrepostos, num tamanho que sobre cerca de 5 cm a mais nos 4 lados. ( isto é necessário para você levantar o brownie da assadeira, depois de frio, e poder cortar melhor, em cima de uma tábua).
Unte o levemente o papel manteiga de baixo, sobreponha o outro. Unte e enfarinhe o papel manteiga de cima. Reserve. (Este processo deve ser feito em todas as receitas de brownie).

Numa tigela de vidro coloque o chocolate picado com a manteiga em pedaços e leve ao microondas em potência média-alta por cerca de 2 minutos. Retire, mexa com uma espátula e se necessário volte ao microondas por mais 1 minuto. Misture e deixe amornar.

Na tigela da batedeira bata os ovos com o açúcar, coloque a mistura de chocolate derretido, a baunilha e acrescente os ingredientes secos.
Bata um pouco, desligue, raspe as bordas da tigela. Bata por mais alguns segundos.
Disponha todos os brigadeiros no fundo da assadeira preparada e despeje a massa do brownie por cima.

Leve ao forno pré-aquecido por cerca de 40/45 minutos ( pode ser um pouco mais – depende de cada forno) ou até enfiar um palito no cento e sair com alguns pedacinhos de brownie grudados, mas não a massa crua.
Retire do forno, deixe esfriar sobre uma grade por 30 minutos e em seguida cubra-o todo com papel alumínio.

O ideal é aguardar no mínimo 6 horas antes de cortar ou de um dia para outro.
Explico: as laterais sempre ficam mais crocantes e o centro macio. Nesse período de “descanso” – e quanto mais longo, melhor – as laterais absorverão a umidade do centro e ficarão mais macias. E todas as bordas serão aproveitadas além de tornar o corte mais fácil!

============

Dicas da Lena:

– Se não tiver cacau em pó 100% pode usar chocolate em pó de boa qualidade.
– o açúcar mascavo é comumente usado em brownies pois deixa a massa mais úmida mas se não tiver pode usar o açúcar comum.
– nunca bata demais massa de brownie pois ele é denso mesmo. Não deve ter ovos aerados demais ou perderá sua textura quando assar ( em inglês usa-se muito a palavra “chewy” – que significa mastigável, ou seja, não é textura leve como se fosse bolo).


 

Depois de muitas horas ( preferencialmente de um dia para outro) , segure as bordas do papel com as duas mãos, uma em cada lado e levante com cuidado todo o brownie, transferindo imediatamente para uma tábua de cortar.
Com uma faca de chef bem grande, corte uma fileira. Limpe a faca com papel-toalha. Repita mais duas vezes esse processo continuando a cortar e lave a faca. A cada 3 ou 4 fileiras é preciso lavar e secar a faca pois o brownie gruda nela e sua limpeza é necessária para que os quadrados saiam bem cortados.

Pronto! Lindamente cortados com os brigadeirinhos por dentro! O melhor brownie da vida!

 

 

 

Print Friendly

Bolo de abóbora e especiarias (Pumpkin spice cake)

08/10/2015 by Lena

 


DSC03019

 

Eu sempre amei abóbora e todos os doces feitos com ela. Inclusive esse “Doce de abóbora da Vó Victória” que minha vó materna fazia, era um dos meus preferidos da minha infância pra comer com queijo!

Na área dos salgados amo moranga assada recheada, abóbora japonesa assada em fatias com casca, “quibebe”, nossa, tantos pratos!

Nas minhas viagens aos EUA sempre fui fã, principalmente no outono, desses bolos e tortas feitos com ela.

DSC03022

Nesta minha receita a abóbora usada foi a “abóbora de pescoço”, também conhecida como “abóbora seca” ( embora tenha uma grande quantidade de líquido; mais do que a japonesa, esta mais esverdeada e muito saborosa. Porém por causa da cor preferi nesta receita usar a primeira.)

DSC03026

A combinação de especiarias deixa este bolo com um gostinho especial e aconchegante.

DSC03027

Recentemente voltei de Nova York e lá comprei mais uma forma linda e fiquei pensando em como tornar esse bolo tão gostoso mais especial ainda com uma decoração bonita e gostosa.

DSC03023
Pensei em fazer as folhas com pasta americana mas lembrei do docinho de leite em pó que eu adoro e deu super certo!

DSC03018

A imagem não está muito boa pois tirei a foto com o celular à noite. Mas ficaram assim, e deixei “secando” durante à noite.

Claro que vocês podem fazer somente o bolo, mas esse casamento da cobertura de chocolate, as sementes de abóbora tostadas mais as folhas de leite em pó, ficou realmente divino!

DSC03024

Por dentro é um bolo cheio de umidade e bem macio.

 

Ingredientes:

do bolo:

– 2 xícaras de abóboras cozidas e peneiradas para retirar o excesso de líquido
– 4 ovos
– 1-1/2 xícara de açúcar mascavo
– 1 xícara de manteiga derretida
– 2-1/2 xícaras de farinha de trigo peneiradas
– 3 colheres de chá de fermento em pó ( colheres-medida padrão, niveladas)
– 1 colher ( sopa) de canela em pó
– 1/3 colher (chá) de cravo em pó
– 1/3 colher (chá) de noz-moscada ralada
– 1/2 colher (chá) de sal que desgrude das mãos)
– sementes de abóbora tostadas (opcional)

da cobertura:

– 1 lata de leite condensado
– 1/2 lata de creme de leite
– 3 colheres (sopa) de cacau em pó 100%
– 50 grs de chocolate meio amargo picado

do docinho de leite em pó:

– 1 lata de leite condensado
– 1 xícara de açúcar de confeiteiro
– 1/2 lata de leite em pó (ou até ficar uma massa macia que desgrude das mãos)
– corante verde em gel
– corante laranja em gel

Preparo:

do bolo:

Pré aqueça o forno a 170° C

Unte e enfarinhe uma forma com buraco no centro. Reserve.

Na batedeira coloque a manteiga derretida e o açúcar. Bata até misturar e acrescente os ovos um a um, continuando a bater.
Acrescente a abóbora, bata por alguns segundos.
Acrescente aos poucos a farinha peneirada com as especiarias, sal e fermento, apenas até misturar (desligue a batedeira uma ou duas vezes e raspe as bordas da tigela com uma espátula de silicone).

Despeje a massa na forma preparada e leve ao forno por aproximadamente 45/55 minutos ( depende de cada forno), ou até espetar um palito e sair limpo.
Retire do forno e espere cerca de 30 minutos para desenformar.

Desenforme no prato de servir.
Decore com a cobertura de chocolate, as folhas e as sementes de abóbora.
Sirva em temperatura ambiente.

da cobertura brigadeiro/ganache:

Coloque todos os ingredientes numa panela e leve ao fogo médio mexendo sempre com uma espátula, alternando com um fouet para não criar grumos. Deixe ferver por alguns minutos até ficar cremoso, mas não alcance o ponto de brigadeiro de enrolar pra não ficar firme demais quando esfriar. Se isso acontecer é só colocar um pouco de água mineral e mexer pra diluir.

do docinho de leite em pó:

Numa tigela coloque todos os ingredientes e vá amassando beeem com a mão, até que vire uma massa homogênea e que não grude nas mãos.
Divida a massa em duas partes. Numa coloque um tiquinho de corante verde e amasse com as mãos. Reserve.
Faça o mesmo com a outra parte da massa e o corante laranja. Misture as duas partes e amasse com as mãos (eu bati na batedeira com a “raquete”, por isso não ficou tão marmorizado).

Polvilhe uma superfície com açúcar de confeiteiro, abra a massa com um rolo e corte com cortadores em formatos de folhas. Vá dispondo sobre um prato até a hora de decorar o bolo. Se achar que é massa demais, enrole o restante em bolinhas e sirva como docinho.

Montagem do bolo:

No prato de servir, despeje a cobertura e disponha sobre ela as folhas recortadas.

=========

DSC03013

Essa abóbora tem uma cor linda!

Dicas da Lena:

– todas essas especiarias podem ser substituídas pela mesma quantidade de “pumpkin pie spice”, caso vocês encontrem à venda ou tenham em casa.
– para retirar o excesso de líquido da abóbora: coloque a abóbora cozida em cubos dentro de uma peneira e esta apoiada em uma tigela. Pressione a abóbora com uma colher grande, “espremendo” para retirar o excesso de líquido. A medição da abóbora deve ser feita somente após esse processo.
– Fiz meia receita como “muffins”, e coloquei as sementes de abóbora ainda sobre a massa crua e depois de assados pincelei geleia de peras. Ficou maravilhoso pra servir com café!

 

FullSizeRender

Como muffin, fica maravilhoso com café ou chá.

DSC03016

Untar bem com manteiga em temperatura ambiente (ponto de pomada)

Print Friendly

Pudim de Pistache

18/09/2015 by Lena

 

DSC02985 - Copia

Pudim de pistache é hipnotizante na cor, na cremosidade e no sabor único.

O ingrediente-chefe é a pasta de pistache cremosa (a fina), italiana, vendida em raros lugares ao nosso alcance.

Pesquisei muito pra chegar a esse resultado, e sugiro que vocês guardem essa receita, mesmo que ainda não consigam a pasta.

 


DSC02974

 

Sempre digo que quando cito marcas ou lojas, não é anúncio (ad), pois meu blog não é patrocinado por ninguém. 

Tudo que faço e passo é por puro deleite pessoal e prazer em dividir o que sei, com vocês : )

Mas preciso facilitar a vida das minhas (meus) leitoras (es) portanto nas “Dicas da Lena”, escrevo a marca da pasta de pistache e onde comprei ; )

DSC02972

Já fiz este pudim 3 vezes e nem sei dizer a felicidade que meus convidados sentiram quando coloquei na mesa.

Carinho é algo tão maravilhoso que passa pelas nossas energias e chega até a alma das pessoas.

 

DSC02984

Preciso dizer que esse pistache verdinho, inteiro e sem pele, não encontro mais à venda em São Paulo. 

Eu trago de viagem e congelo para usar em momentos especiais.

Mas pode usar pistache moído, pois os vendidos inteiros são com pele, e muitas vezes salgados e com a casca.

A receita é muito fácil.

Basta ter alguns cuidados como em todo pudim.

DSC02982

 

Vamos começar?

 

Para 6 pessoas

 

Ingredientes:

 

da calda:

– 2/3 de xícara de açúcar

– 1/3 de xícara de água

 

do pudim:

 

– 1 lata de leite condensado

– meia lata (medido na lata de leite condensado) de pasta de pistache fina

– 1 lata e meia de leite integral (medido na lata de leite condensado)

– 4 ovos

 

da decoração

 

– 1 xícara de açúcar

– ½ xícara de água

– ½ xícara de pistaches sem pele

– 4 gotas de essência de amêndoas (opcional)

– corante verde (opcional) apenas para ficar levemente colorida

 

Preparo:

 

– da calda:

 

Numa panela média coloque a água e o açúcar.

Leve ao fogo médio, mexendo SOMENTE até o açúcar dissolver.

Quando começar a ferver abaixe o fogo e deixe cozinhando até ficar com cor de caramelo claro (ponto de bala mole)

Despeje a calda numa forma de furo no meio, girando para cobrir o fundo e parte das laterais.

ATENÇÃO: Utilize pegador de panelas para essa operação porque a forma fica muito quente e cuidado para não se queimar.

Reserve.

 

do pudim:

 

Pré-aqueça o forno a 170 graus.

Leve ao fogo uma chaleira com água até ferver (essa água será utilizada para o banho-maria do pudim no forno).

 

Numa panelinha leve ao fogo o leite e a pasta de pistache.

Mantenha em fogo baixo e mexa constantemente com um fouet para a pasta dissolver por completo (mesmo após a fervura).

Desligue o fogo e despeje essa mistura no liquidificador.

Acrescente o leite condensado e bata.

Acrescente os ovos e bata somente até misturar.

Com uma concha retire a espuma que ficou na superfície e peneire duas vezes.

(Isso dá mais cremosidade ao pudim e vale para todos eles).

Despeje na forma preparada com o caramelo.

Coloque a forma dentro de uma assadeira.

Coloque cerca de 1 cm de água fervente na assadeira.

Leve ao forno pré-aquecido.

Deixe assar por cerca de 1 hora e dez minutos ou até enfiar uma faquinha no centro e sair limpa.

O tempo depende de vários fatores: tamanho da forma, temperatura do forno ( não deixe o forno esquentar demais para não queimar na superfície.)

Deixe na geladeira por algumas horas até gelar completamente.

Aqueça levemente o fundo da forma sobre uma chama de fogão, para que o caramelo amoleça um pouco.

Desenforme o pudim no prato de servir.

Se desejar, faça um caramelo extra para cobrir o pudim, já que geralmente ele fica grudado no fundo da forma e se colocarmos água para dissolvê-lo sobre uma chama, pedacinhos do pudim “sujam” a calda.

Por isso gosto de fazer uma calda nova.

 

da decoração:

 

– Leve ao fogo a água e o açúcar até ponto de craquelar (coloque um pouco da calda num copo de água gelada. Deverá estalar no fundo do copo formando uma bala dura, de quebrar.)

– Acrescente os pistaches, corante e essência (opcionais) e despeje sobre um Silpat (folha de silicone) formando desenhos aleatórios.

– Espere esfriar completamente e retire do silpat.

– Utilize a decoração no mesmo dia pois o caramelo “mela” com a umidade do ar.

====================

Dicas da Lena:

– A pasta de pistache é da marca italiana “Fabbri” mas atenção: tem que ser a pasta “fina” ( é cremosa ). Existe uma outra meio granulada com micropedaços de pistache. Não é essa.

– Comprei na Loja “Bondinho” em São Paulo. Eles vendem fracionada (em potes de 100 a 200 gramas cada).

– se preferir pode fazer um crocante de pistaches em vez da decoração. Derreta 1 xícara de açúcar numa panela (sem água), e quando estiver como “açúcar queimado”, despeje numa folha de silicone ou numa superfície de pedra (mármore ou granito) untada. Espere esfriar, retire por baixo com uma espátula de metal, corte em pedaços e passe no processador”.

Mas eu acho a decoração que fiz infinitamente mais bonita : ) 

– Pode fazer esse pudim em forminhas individuais também.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Print Friendly

Palha italiana de nutella, gianduia e ovomaltine

30/03/2015 by Lena


 

Há algum tempo postei nas redes sociais fotos desta Palha italiana, muita gente pediu a receita e prometi que faria um post!

Eu adorei o resultado; ela é saborosíssima, tem uma textura super macia – e  interessantemente, por fora é sequinha; prefiro desse jeito, assim não preciso passar no açúcar e acho a apresentação bem mais bonita.

Além disso tem a vantagem de ficar bem quadradinha ao cortar, permitindo um visual uniforme e bonito.

A firmeza dessa “palha”  deve-se à gianduia que uso, que como tem uma percentagem de chocolate nela, somada à nutella e ao Ovomaltine em pó, ao resfriar firmam bastante e após horas, ela fica perfeita. (por isso é fundamental que usem chocolate em barra caso não encontrem gianduia para comprar. E realmente não é um produto fácil de achar).

Poderia  até chamar essa palha italiana de “fudge”, já que a sua textura lembra muito, na maciez interna.

As palhas italianas que eu vejo para vender são uma espécie de brigadeiro que cortam ainda mole, passam no açúcar mas com o tempo acabam açucarando por dentro, sem ficar uniforme por fora.

Enfim, esta é a minha versão com o toque da Gianduia e Nutella, ambas minhas paixões.

O Ovomaltine é obrigatório, porque se colocar cacau em pó, ele se sobrepõe ao sabor suave da Nutella e da gianduia. Ou seja, vamos permitir que o sabor das avelãs reinem nesse docinho!

Considero esta receita facílima (apesar do difícil tempo de espera para poder cortar …) e um grande presente para a Páscoa que já está aí na porta : )

E sem mais delongas, eu convido vocês a comprarem os ingredientes pra gente começar a fazer!

 

Para cerca de 40/50 docinhos, dependendo do tamanho da forma

 

Ingredientes:

 

– 1 lata de leite condensado

– 1 pote de Nutella de 350 grs

– 1 barra de Gianduia de 100 grs (se não tiver, use chocolate ao leite ou meio amargo 50%), picada em pedaços pequenos

– 1  xícara de chá de Ovomaltine em pó

– 1 colher (chá) de manteiga sem sal

– 1 pacote de 200 grs de qualquer biscoito doce (bolacha) quebrados em pedaços pequenos (eu coloco num saco plástico e quebro com o rolo de massa)

 

Preparo:

 

Numa panela de teflon, misture todos os ingredientes (menos o biscoito em pedacinhos).

Fora do fogo dê uma misturada com uma colher de pau ou espátula.

Leve ao fogo até tudo derreter, misturar e aparecer o fundo da panela (como para brigadeiro) – cerca de 6 minutos, após início da fervura – mas isso depende muito da chama do fogão e do tipo de panela.

Retire do fogo e acrescente os biscoitos em pedacinhos

Despeje numa mini assadeira de cerca de 30 x 18 x 2,5 cm de altura, forrada com Silpat (folha de silicone) >> Há alternativas para tipo de forma e forro abaixo, nas “Dicas da Lena”.

Espere esfriar completamente (fora da geladeira) por algumas horas (o ideal é de um dia para outro)

Após esse período ela deverá estar firme para cortar.

Passe uma faquinha nas bordas, e desenforme sobre uma assadeira (como se fosse um bolo em forma retangular).

Retire o silicone (ou papel-manteiga como explicarei nas Dicas da Lena)

Vire novamente sobre uma tábua de cortar (para ficar o lado direito para cima – exatamente como você faria com um bolo) – e corte em pedaços do tamanho que desejar, com uma faca grande de chef.

Se desejar, passe por açúcar comum ou cristalizado fino.

Eu não passei, pois esta palha italiana fica bem sequinha por causa da gianduia ou chocolate em barra – e gosto de esperar até secar bem. Inclusive fica muito doce se passada no açúcar. Também acho mais bonito para se enxergar o “mosaico” de biscoito pelas laterais : )

 

==========

Dicas da Lena:

 

– Esta palha italiana é sequinha porém macia ao morder, estilo “fudge”.

– Eu tenho uma assadeira pequena de inox, tipo essas que existem nos balcões de salgados em lojas, exatamente nas medidas que passei na receita. Dá direitinho para essa receita. Como a maioria das pessoas não tem, pode-se colocar um uma assadeira pequena retangular comum, de cerca de 28 x 20 x 4 cm de altura, ou mesmo num tupperware nas mesmas dimensões. O importante é saber que se for maior que isso, as palhas italianas ficarão bem baixinhas (o que é bom caso você queira fazer beeem pequeninas para servir com café ou mesmo para vender em saquinhos). Mas esse tamanho das fotos eu acho que é o ideal.

A respeito do forro, quem não tiver uma folha de silicone pode forrar com papel-manteiga. Ele grudará mas na hora de retirá-lo é só ir puxando aos pedaços que ele sai.

Papel alumínio pode ser uma tentativa também mas o brasileiro é muito fino e pode grudar e ter dificuldade para desgrudar. Eu tenho um ótimo para esses casos, que trago de viagem, que é o papel alumínio “Heavy duty non-stick”, ou seja, é mais grosso e com uma camada de antiaderente. É ótimo e fica a dica para quem viaja!

– Essa palha italiana pode ser congelada por até dois meses num recipiente com tampa e se tiver camada dupla, papel-manteiga entre elas.

Para descongelar deixe em temperatura ambiente tampado e só abra depois de umas 10 horas (senão ele fica melado).

 

Print Friendly

Bolo de coco “Halekulani”

11/01/2015 by Lena

 

Depois de 3 meses ausente do Blog, por motivos vários que ocorreram desde outubro de 2014, e depois os preparativos de Natal e fim de ano, além de uma mudança de computador, onde ainda estou aprendendo a mexer – este bendito Windows 8 – já que desde outubro mal entrei aqui porque não dava tempo, e vocês sabem (quem tem Windows 8) o quanto a gente demora tentando descobrir como faz…), EU VOLTEI!

 

 

Neste ínterim, continuei postando fotos de tudo que eu fazia, nas redes sociais (Instagram, Twitter e Facebook), e tive muitas, muitas alegrias sabendo que tenho tantas leitoras que gostam deste trabalho que faço com paixão. Muito obrigada de verdade!

 

Aproveitando a oportunidade, peço que sintam-se à vontade para comentar aqui sobre os posts.
A verdade é que com o advento em massa das redes sociais, as pessoas dão retorno por lá mesmo (o que é uma delícia), mas pouco nos blogs, e isso parece ser em todos mesmo.

Massss … preciso confessar que se não leio auqi, fico em dúvida se vocês estão gostando e/ou fazendo as receitas.

Os comentários são o retorno mais sincero e feliz pra gente saber que o trabalho está valendo a pena <3

É uma motivação é um incentivo enormes, sabem? : ))

Bem, tendo esclarecido minha ausência, vamos ao Bolo de Coco Halekulani pelo qual eu fiquei apaixonada!

Há cerca de dois ou três meses, uma amiga me enviou o link desta receita dizendo que adora este bolo.

É o carro chefe das sobremesas de um famoso e maravilhoso hotel em Honolulu, Havaí, que dá o nome a esta receita – o Halekulani.

 

A receita original leva também um coulis de framboesas, que eu não coloquei aqui, porque framboesa no nosso país, apesar de ser uma das minhas frutinhas preferidas, é uma danadinha cara e difícil de encontrar. Eu inclusive sempre compro framboesas congeladas para estas finalidades, mas mesmo isso nõa se encontra em todas as regiões. E pra que fique fácil de todos fazerem, eu omiti.

Mas nas “Dicas da Lena” explico rapidinho como se faz o coulis, que nada mais é do que a fruta batida com açúcar e servida à parte.

Usei creme de leite fresco para o chantilly, mas também é outra coisa que não se encontra em algumas cidades. Neste caso pode substituir (embora não fique com resultado tão delicado) – por aquele creme que bate em “chantilly”, em embalagem tetrapack que vende nas prateleiras dos supermercados, ao lado do leite condensado : )

Essa massa é muito levinha

O coco pode ser o fresco mas como fica mais fácil e menos perecível o de pacote, optei por aquele que vem umedecido, e é maravilhoso!

Fiz este bolo 2 vezes: a primeira, pra testar a massa, a receita. E nem pensava em virar post. Por isso tirei umas poucas fotos, e com o celular mesmo.

O recheio de coco

Na segunda, fiz para a minha amiga, e não podia cortar pra mostrar a fatia – e como era época de Natal, coloque um orsinho de açúcar.

Nem queria fazer post com tão poucas fotos, mas no Instagram e no Face me pediram tanto e disseram que as fotos já estavam ótimas, então não iria deixar de dividir esta receita sensacional por causa disso né?

Achei legal que este bolo não é muito grande. Serve 8 boas fatias, e a forma até é pequena.

No entanto, pode dobrar a receita desde que você divida a massa em duas formas. No caso corta-se cada massa uma vez só.

Sim, é um bolo para quem gosta de coco, mas quem gosta, ama.

E é para todas essas pessoas que eu dedico o Halekulani Coconut Cake!

 

 

Ingredientes:

 

do Pão-de-ló:

 

¾ xíc .farinha de trigo

1/3 xícara de açúcar

¼ colher de chá de sal

1 colher de chá de fermento em pó

2 colheres de sopa de óleo

1  ovo

1/3 xícara de água

4  claras

¼ xícara de açúcar

¼ colher de chá de cremor de  tártaro
do creme de confeiteiro:

1-¾ xícara de leite

100 grs de açúcar

pitada de sal

½ colher de chá de baunilha
¼ xícara de leite

60 grs.de amido de milho

2 ovos
20 gramas de  manteiga
1 pacote de coco ralado úmido

1/3 de xícara de Amaretto (opcional – eu não usei porque na ocasião não tinha em casa).

 

Chantilly:

 

500 ml de creme de leite fresco

3 colheres de sopa (colher-medida padrão, nivelada) de açúcar de confeiteiro

1 colher (chá) de baunilha

1 pacote de coco ralado úmido
Preparo:

 

do pão-de-ló:

 

Pré aqueça o forno a 170 graus C.

• Peneire em uma tigela a farinha, 1/3 de xíc. açúcar, sal e o fermento em pó. Reserve.

• Em uma tigela, bata as claras, o cremor de tártaro. Aos poucos, adicione 1/4 de xícara de açúcar. Continue a bater  até formar um merengue firme. Reserve.

• Em outra tigela, misture bem o óleo, o ovo e água, e acrescente aos ingredientes peneirados na velocidade mínima da batedeira. Misture a massa até ficar homogênea.

– Acrescente o merengue à essa massa, à mão, em movimentos delicados até incorporar. Não mexa demais.

• Despeje  a massa em uma forma untada e forrada com papel-manteiga untado e enfarinhado, de cerca de 23 cm de diâmetro e asse por cerca de 30 minutos ou até enfiar um palito e sair limpo.

• Aguarde 5 minutos, inverta o bolo sobre uma superfície plana forrada com papel manteiga. Deixe esfriar.

• Coloque no freezer por cerca de uma hora.

– Com uma faca de serra comprida, corte 2 vezes, perfazendo 3 camadas.

 

do creme de confeiteiro:

 

Combine  1- ¾ xícaras de leite, açúcar, sal e a baunilha em uma panela média. Leve a mistura ao fogo até  ferver.

• Misture bem 1/4 xícara de leite com as 60 grs de amido de milho. Em seguida, adicione os ovos e bata bem com um fouet.

• Quando o leite ferver, coloque a mistura de amido de milho num pouco do leite quente . Em seguida, colocar a mistura de volta na panela.

• Mexa constantemente até engrossar bem.

• Retire do fogo e misture a manteiga

• Retire o creme da panela e coloque em uma tigela. • Cubra o creme com filme plástico tocando o creme. Isso ajudará a impedir que uma pele formando sobre o ele.

• Coloque em um banho de gelo para esfriar rapidamente. Ou leve ao freezer e mexa algumas vezes enquanto resfria (eu faço assim).

• Depois que o creme de pastelaria esfriar, acrescente os  flocos de coco, amaretto e 1 xícara do chantilly batido. Misture à mão com uma espátula. Guarde na geladeira.
do Chantilly:


• Misture o creme de leite e o açúcar juntos em uma tigela e bata até formar picos firmes.

• Cerca de 1 xícara de creme chantilly é para ser adicionado ao creme de confeiteiro gelado, e o creme restante é para ser usado à cobertura do bolo.

 

   Montagem:

• Quando o bolo estiver completamente frio, corte o bolo em três camadas usando uma faca serrilhada.

•Posicione a camada inferior no prato de servir.

• Coloque metade do creme de coco sobre a primeira camada de bolo, com a ajuda de uma espátula.

• Acerte a segunda camada de bolo em cima do creme de coco e repita este processo, terminando com a última camada de bolo.

• Cubra todo o bolo com o creme restante e pressione suavemente os flocos de coco nos lados e na parte superior do bolo.

Sirva gelado.

========================

 

Dicas da Lena:

– A receita do coulis de framboesa (opcional): 1 xícara de framboesas frescas ou congeladas, 1/3 de xícara de açúcar. Bater no liquidificador. Está pronto!

– Se o bolo ficar em ambiente com temperatura mais quente, recomendo não colocar a xícara de chantilly no creme de confeiteiro. O recheio ficará mais firme assim.

– Se precisar transportar o bolo, recomendo deixar por mais de uma hora no freezer para firmar bemmm.

– O bolo assado deve estar bem gelado para cortar as camadas. E sempre com uma faca grande de serra.

– Para “colar” o coco nas bordas, pegue punhados de coco, e aos poucos vá pressionando e girando levemente, até dar a volta completa.

– Algumas medidas estão em xícaras; outras em gramas. Desculpem, mas quis traduzir e fazer exatamente como mandava a receita.

 

 

 

Print Friendly

Brigadeiro de doce-de-leite e leite em pó

09/10/2014 by Lena

Ontem postei foto deste brigadeiro nas redes sociais e muitas pessoas me pediram a receita.

Achei então, mesmo tendo tirado somente 3 fotos, que seria bacana fazer um post rapidinho!

O Dia das Crianças está ali na porta e vocês podem querer fazer : ))

Adorei o resultado, e é mais um docinho pro caderno de receitas das nossas festinhas. (aliás, pra qualquer dia!)

Pensei também que fofo que ficaria se fizer uma bolinha menor desse brigadeiro, e uma de tamanho igual, do brigadeiro escuro, juntando os dois!

 

Para 20/30 docinhos, dependendo do tamanho.

Ingredientes:

 

– 1/2  lata de leite condensado cozido por 40 minutos em panela de pressão

– 1 lata de leite condensado

– 1/2 xícara de leite Ninho em pó (instantâneo)

– 2 colheres (chá) de manteiga

 

Preparo:

 

Coloque um pires vazio no freezer para o teste do pires, que explico no final desta receita.

Numa panela misture com o fouet, o leite condensado com o leite em pó.

Em seguida, acrescente o doce de leite e misture. Os pedacinhos que ficarem, se dissolverão no fogo.

Por último a manteiga.

Leve ao fogo médio e mexa sempre, até dissolver.

Quando começar a ferver, abaixe o fogo e não pare de mexer. Eu costumo alternar o fouet e uma espátula de silicone. Um pra não empelotar (serve pra todos os docinhos), e a espátula pra não deixar grudar no fundo e nas bordas da panela.

Após alguns minutos, quando começar a engrossar, desligue o fogo e faça o “teste do pires“, que ensino no meu post de Brigadeiro de chocolate belga.

É a melhor e infalível maneira de parar o cozimento assim que atinja o ponto desejado.

Lembre-se que ele firma quando esfriar. Por isso com o teste, vc sabe como ele ficará quando frio.

Coloque o brigadeiro num prato raso, untado com manteiga, espere amornar.

Cubra com plástico filme e espere esfriar completamente para enrolar.

 

Dicas da Lena:

 

Pouco preciso dizer aqui sobre esta receita, mas quero explicar que se você quiser usar a lata inteira do leite condensado cozido, pode usar que ficará uma delícia.

(eu só usei meia lata porque …. cof cof… eu havia comido metade já …hahaha)

– O leite em pó deve ser o integral e instantâneo, para dissolver bem.

– Usei granulado branco belga, mas pode usar o que preferir, ou até chocolate branco ralado, que ficará maravilhoso.

 

 

 

Print Friendly

Pasta caseira de avelãs (nutella)

24/09/2014 by Lena

Faz tempo eu queria postar esta receita de Pasta de avelãs (aká, conhecida como “Nutella”), versão caseira.

É verdade que avelãs são um tanto difíceis de encontrar no Brasil, mas quando você conseguir, compre, porque vale muito a pena!

O sabor é incomparavelmente maior nesta versão totalmente caseira e natural.

Avelãs tostadas e processadas, aos poucos, numa alquimia maravilhosa que só esta pasta caseira nos traz.Avelas-no-processador

Depois que você fizer a primeira vez, vai querer sempre.  Até porque, apesar de não poder fazer grandes quantidades de uma só vez (para que o processador consiga deixas a pasta homogênea à perfeição), podemos utilizá-la em bolos, cremes, sorvetes, muffins, cookies  como estas receitas que já postei.

Mas uma coisa preciso dizer: o processador tem que ser potente, e a faca, dentada. Senão ficarão alguns pedacinhos.

Mesmo assim, acho que vale a pena tentar.

 

Um conselho: não pule etapas.  Siga à risca cada passo desta receita, na ordem correta.

É fundamental para que a pasta fique perfeita!

 

 

Ingredientes:

– 100 grs de avelãs sem pele, tostadas
– 70 grs de açúcar de confeiteiro
– 100 grs de chocolate branco picado
– 100 grs de chocolate meio amargo (usei o 70% cacau), picado
– 1 colher (chá) de baunilha
– 20 ml de óleo de milho
– 60 ml de leite integral ou creme de leite

Preparo:

– Num processador potente e com a faca dentada, coloque as avelãs e o açúcar de confeiteiro e triture até formar um pó. Use o modo “pulsar” várias vezes para que forme um compacto das avelãs com o açúcar. Se processar direto pode formar uma pasta oleosa sem antes triturar completamente as avelãs.
– Retire essa mistura do processador; coloque numa tigela. Reserve.
– Coloque no processador o chocolate meio amargo e o branco, picados.
– Processe os chocolates até triturar bem.
– Acrescente novamente as avelãs trituradas com o açúcar e use o modo “pulsar” umas 4/5 vezes para misturar tudo. Raspe as bordas com uma espátula de silicone.
– Leve o leite ao fogo e deixe quase ferver. Desligue o fogo e despeje aos poucos, na mistura de chocolates/avelãs/açúcar, no processador, utilizando o modo “pulsar” algumas vezes , a cada adição.
– Acrescente o óleo de milho, processe novamente por alguns segundos.
– Transfira a mistura em uma panela que possa ir ao banho-maria. ( dentro de uma panela maior). Não deixe a água do banho-maria ferver. Desligue o fogo se isso começar a acontecer.
– Mexa a pasta no banho-maria por cerca de 7 minutos, com uma espátula.
– Está pronta a pasta de avelãs.
– É só despejar em dois vidros.
– Deixe resfriando em temperatura ambiente por no mínimo 6 horas.
– Lembrando que como não contém conservantes, deve ser guardada na geladeira por até 3 semanas.
– retire da geladeira cerca de 1 hora antes para utilizar, ou coloque na função descongelar do microondas por alguns segundos até ficar na consistência de espalhar com a faca.

—————–

Dicas da Lena:

– É difícil encontrar no Brasil avelãs sem pele. Geralmente elas vêm com a pele escura. Para retirá-las, coloque numa assadeira em forno pré-aquecido a 170 graus e deixe por uns 15/20 minutos, até que as peles comecem a soltar ( igual como se faz com amendoim com pele). As minhas eu comprei numa viagem e já sem pele.
– Coloque as avelãs sobre um pano de copa seco, cubra e esfregue até sair quase toda a pele ( não faz mal que fiquem alguns pedaços de pele grudados)
– Não faça o dobro da receita de uma vez só pois poderá não triturar o suficiente e ficará pedaços de avelãs ao invés de uma pasta homogênea.

Print Friendly

Muffins integrais de banana e castanha-do-Pará

21/08/2014 by Lena

 

Da série ” facílimos “.

Estes muffins são perfeitos no sabor e textura. Agregam o saudável, pela farinha integral, casca de banana, aveia, açúcar mascavo e os nutrientes da castanha-do-Pará. Não precisa de batedeira. É liquidificador. Poré, as castanhas-do-Pará devem ser moídas num processador .

Eu sempre compro castanhas, processo, e congelo em porções de 1 xícara. Quando preciso num bolo, é só descongelar e usar!

Adoro banana, adoro essa combinação e textura.

Um ou dois desses já são um completo café da manhã.

Perfeito pra levar no lanche, seja criança ou adulto.

Assim que retirei do forno, o cheirinho de café passado na hora já espalhava pela casa, esperando só a bandeja, o pratinho e a música na varanda.

Quem não gosta de um bolinho de banana gente?

Congela perfeitamente e é ideal pra presentear.

Se eu fosse você, fazia hoje – e guardava esta receita ; ))

 

Para 24 muffins:

 

Ingredientes:

dos muffins:

– 1/ 2 xícara de manteiga ou margarina em temperatura ambiente
– 1 xícara de açúcar mascavo
– 1 xícara de açúcar comum
– 1/4 de xícara de óleo
– 4 ovos
– 5 bananas-nanicas grandes e as cascas de 2 delas, picadas
– ½ xícara de aveia
– 1 xícara de castanhas-do-Pará, moídas
– 2 xícaras de farinha de trigo integral
– 1 colher (sopa) de canela em pó
– ½ colher (chá) de sal
– 1 colher (sopa) de fermento em pó

da cobertura:

– 1 xícara de aveia integral
– 4 colheres (sopa) de açúcar cristal fininho

Preparo:

Pré-aqueça o forno a 170 graus.

Prepare 2 assadeiras de muffins (com 12 cada), forrando com forminhas de papel para muffins. Reserve.
No liquidificador coloque as bananas, as cascas, manteiga, óleo, ovos, açúcar e bata até formar um creme.
Numa tigela, peneire os ingredientes secos. Acrescente a castanha-do-Pará moída e misture. Agregue a massa batida, misturando muito bem.
Divida a massa entre as 24 forminhas de muffins. Por cima espalhe um pouco da aveia integral e açúcar cristal fininho. Coloque as formas de muffins sobre assadeiras retangulares ( para não queimar os bolinhos por baixo).
Leve ao forno por cerca de 25/30 minutos ou até enfiar um palito e sair limpo.
Retire os muffins da forma e deixe esfriar sobre uma grade.
Sirva morno ou frio.

===============

Dicas da Lena:

– Sempre digo que é importante colocar formas de muffins sobre uma assadeira retangular pois o fundo é fino e corre o risco de queimar ou assar demais.

– Muito mais fácil preencher as cavidades das formas de muffins com a massa, com uma colher de tirar sorvete.

– Se quiser pode dividir a receita ao meio para resultar em 12 bolinhos.

– Congelam perfeitamente durante 3 meses.

– Se não tiver açúcar cristal fininho pode usar o comum. Usei a aveia integral mas se tiver aquela tipo farinha pode  também.

– As cascas complementam o sabor da banana e contém fibra. Adoro!

– Não fiz este bolo em forma grande mas creio que fique ótimo também. Mas eu recomendo em assadeira retangular, para ficar mais fofinho.

Print Friendly

Cheesecake de Caramelo salgado

30/07/2014 by Lena

 

 

Existem receitas bem mais trabalhosas que outras. Mas que valem cada segundo de preparo.

Até porque, na doçaria tudo é mais preciso, mais meticuloso e delicado. Sabemos disso, respeitamos a doçura das sobremesas e agradecemos aos Céus vivermos para esses momentos.

Há dois meses fiz uma viagem aos EUA e comi um cheesecake de caramelo salgado num restaurante que me fez voltra rlá 3 dias depois só pra comer de novo a sobremesa. Fiquei absolutamente encantada com a cremosidade e o sabor do caramelo. Prometi a mim mesma que quando voltasse, testaria na minha cozinha até acertar! Dito e feito. A sorte é que logo na primeira tentativa eu consegui o resultado que queria tanto!

Ofereci um jantar e servi como sobremesa. Fiquei honrada, lisonjeada e feliz com os elogios empolgados dos meus convidados! E eu, realizada, sabendo que nunca mais precisarei esperar para comer esse cheesecake que tornou-se uma das minhas sobremesas preferidas.

 

Mesa posta, amor em forma de louça, comida e sobremesa. As melhores conversas, são aqui.

 

Como tudo que descubro ser delicioso e sucesso, quero vir aqui e dividir com vocês, agora chegou a hora de garantir pra vocês que se fizerem, terão felicidade na ponta do garfo.

Recomendo seguirem todos os passos e dicas para que ele tenha o mesmo resultado cremoso que obtive.

Não teria graça a vida, se não pudéssemos ter nossos queridos por perto, oferecendo a eles nosso mais precioso carinho.

Meus convidados Daniela e Marco sabem perfeitamente do que falo <3

Aliás, QUE icewine maravilhoso de sobremesa ele trouxe para abrilhantar nossos momentos de êxtase gastronômico! Obrigada muito, aos dois! ; )

Para um cheesecake de 8 a 10 fatias

 

– Ingredientes:

Da massa:

– 1 pacote (200 grs) de bolachas doces
– 3 colheres de sopa (colheres/padrão-niveladas) de manteiga sem sal

Do recheio:

– 4 embalagens (de 150 grs cada) de cream cheese em temperatura ambiente
– ¼ de xícara de açúcar
– 1 xícara de caramelo feito em casa – Faça o dobro da quantidade  da receita desse link >> (veja a receita aqui) no meu post de Riz-au-lait
– 4 ovos
– 1 colher (chá) de baunilha

Da decoração:

– 1 embalagem de 500 ml de creme de leite fresco
– 1 colher (sopa) de açúcar de confeiteiro (se não tiver, pode usar o comum)
– 1 colher (chá) de baunilha
– 1/3 de xícara de caramelo salgado (para usar por cima do cheesecake)

Preparo:

Da massa:

– No processador (pode ser no liquidificador, mas tem que bater aos poucos os biscoitos. Coloque um pouco, bata, desligue, mexa com a colher e continue assim até terminar o pacote.)
Coloque os biscoitos no processador e bata até virar uma farofa fina. Acrescente as colheres de manteiga e bata novamente.
Pressione essa mistura no fundo de uma forma de aro removível de cerca de 22 cm de diâmetro (com as mãos ou com a ajuda de uma colher) e leve para assar em forno pré-aquecido em 170° por cerca de 10 minutos. Retire do forno e deixe esfriar. (eu acelero este processo colocando no freezer por uns 15 minutos).

Do cheesecake:

Pré-aqueça o forno em 160°C.
Coloque água para ferver numa chaleira e separe uma assadeira retangular um pouco maior do que a forma redonda de aro removível (o cheesecake será assado no forno, em banho-maria para ficar bem cremoso)
Enquanto isso, na batedeira coloque o cream cheese (em temperatura ambiente. Pode estar levemente resfriado, mas não gelado) e o açúcar. Bata somente até misturar. Desligue a batedeira e raspe as bordas da tigela com uma espátula de silicone. Acrescente a baunilha, e acresente os ovos um a um, batendo apenas até misturar após cada adição. Não bata demais! Coloque o caramelo (se por acaso este estiver um pouco firme, leve ao microondas por alguns segundos até amolecer um pouco, mas não pode estar quente) juntamente com o último ovo e bata por alguns segundos só até misturar. Raspe e mexa a mistura novamente com a espátula. Despeje na forma com o fundo assado e resfriado.
Envolva o fundo e as laterais da forma do cheesecake com papel alumínio duplo (para que não entre água durante o banho-maria, já que a forma tem aro removível).
Coloque numa assadeira maior, acrescente água na altura de 1 cm e leve ao forno pré-aquecido por cerca de 15 minutos nessa temperatura.
Após esse tempo, diminua a temperatura do forno ao mínimo (se for forno de fogão, diminua ao mínimo – se for elétrico, diminua para 130/140°C)
Asse por cerca de 1 hora. Desligue o forno e deixe por mais uns 30 minutos.
Após esse tempo, enfie uma faca e se sair limpa está pronto.
Retire, passe uma faquinha em volta das bordas somente para quando ele “encolher”, a massa não repuxe, e deixe esfriar em temperatura ambiente. Abra e retire o aro e em seguida leve ao freezer por cerca de 2 horas, ou até que o fundo esteja bem firme.
Retire do freezer e passe uma faca grande por baixo da massa, para descolar.
Com uma espátula grande, deslize o cheesecake diretamente para o prato de servir.
O ideal é deixar na geladeira por cerca de no mínimo 5 horas.

Da montagem:

Bata o creme de leite em chantilly com 1 colher (sopa) de açúcar e a baunilha.
Com um bico de confeitar, faça pitangas unidas uma à outra, por cima do cheesecake. Despeje um pouco de caramelo nesse espaço, permitindo que o chantilly sirva de “muro” para que o caramelo não escorra.
Leve à geladeira e retire 1 hora antes de servi-lo.

===============

Dicas da Lena:

Importantíssimo: Duas folhas de papela alumínio por baixo da forma para assar em banho-maria e não deixar água entrar

– O forno para assar cheesecakes jamais devem ser muito quentes,  para que permanceçam clarinhos por cima, não rachem e principalmente assem por dentro.
– Outra coisa que faz com que eles tenham rachaduras por cima, é quando entra muito ar na mistura de cream cheese. Por isso a recomendação de bater bem pouco na batedeira, impedindo que o recheio fique aerado. Assar em banho-maria é FUNDAMENTAL para que não resseque e permaneça cremoso!
– Se possível, usar a “pá” da batedeira, e não o batedor aramado dela.
– Use uma forma do diâmetro indicado, caso contrário a torta ficará muito baixa.
– Se quiser, pode dobrar a receita mas a forma deverá ter uns 25 cm de diâmetro. Ele ficará até mais alto. Aumente o tempo de forno para 1 hora e meia mais ou menos. Mas de verdade, recomendo fazer da primeira vez, com a quantidade exata desta receita.
– Fornos são muitos diferentes. Alguns aquecem demais. Geralmente, todos os fornos de fogão são assim. Já os elétricos possuem um termostato que desliga automaticamente quando atinge a temperatura ideal, e mesmo assim há que se vigiar. Eu tenho um “jeitinho” pessoal de verificar temperaturas quando preciso que elas sejam mais baixas: se eu conseguir colocar a mão dentro e contar até “5” tranquilamente,o forno está baixo o suficiente.
Se não, é porque está muito quente, e se não der para diminur a temperatura, abra levemente a porta do forno e “calce” com uma colher de pau.
– Se for servir somente no dia seguinte, deixe na geladeira na própria forma em que assou. No outro dia, coloque por cerca de 1 hora no freezer (apenas para que o fundo do cheesecake se solidifique e você possa enfiar uma espátula fina por baixo e transferir para o prato de servir, sem rachá-lo). Proceda com os passos seguintes.

– Nem pense em cortar ou desenformar um cheesecake que não esteja gelado. Ele desmanchará todo.
– Siga todas as dicas acima, bem como o passo-a-passo da receita, e terá um cheesecake cremoso e divino!
 

 

 

Print Friendly