Eu já comentei em outros posts que a diversidade dos termos brasileiros, de norte a sul, são uma das riquezas culturais que podemos nos orgulhar.

A parte superior do bolo fica mais “fofinha” graças à retirada do amido de parte da mandioca moída.

Mas muito além disso, eu acho que mandioca é um alimento de Deus. Além dela por si só ser uma delícia (eu adoro comê-la amassadinha com açúcar e canela…), e podermos fazer sopas, purês, frita como batatinha, base para pães e tortas, temos um sem-número de produtos que dela se originam: a farinha de tapioca, a “goma”, a puba, os polvilhos, a farinha de mandioca (a de Belém é algo sensacional). 

Particularmente, eu adoro o termo “Bolo de macaxeira”, porque assim é falado no norte, onde morei tantos, em Belém.

No Rio chama-se “aipim”, e eu sinto um certo charme nessa palavra…

Seja como for, esse bolo é uma delícia. Testei muitas e muitas receitas ao longo da vida.

Assim como pão de queijo, brownie, bolo de chocolate e de fubá – o bolo de macaxeira tem zilhões de receitas diferentes – uma pra cada momento. Esta é a básica; sem coco, nem queijo. Mas ahhh, vale a pena. Muito.

Ingredientes:

– 800 grs de mandioca descascada, crua
– 4 ovos
– 2 xícaras de açúcar
– 1-1/2 xícara de leite
– 1/3 xícara de manteiga ou margarina, derretida
– 1 xícara de farinha de trigo, peneirada
– 1 colher (sopa-medida/nivelada) de fermento em pó
– 1 colher (chá) de baunilha
– 1-1/2 colher (sopa) de sementes de erva-doce
– ½ colher (chá) de sal

Preparo:

Pré-aqueça o forno em 180°C.
Unte e enfarinhe uma forma de buraco no meio. Reserve.
Retire os “fios” internos da mandioca crua, cortando cada pedaço em quatro partes, no sentido do comprimento. Retire os “fios”, cortando nesse mesmo sentido, com a faca.
Corte em pedaços menores e leve ao processador com ½ xícara de água (se o processador for pequeno, faça esse processo em duas vezes).
Se não tiver processador, faça esse procedimento em 3 ou 4 vezes, no liquidificador (eu poderia dizer para ralar a mandioca, mas dá trabalho demais e leva muito tempo).
Separe 1/3 dessa quantidade e coloque numa peneira. Lave em água corrente, para retirar todo o amido . Esprema com as mãos, na própria peneira. Coloque de volta ao restante da mandioca processada ou passada no liquidificador.

– Se ralar no processador, faça as próximas etapas do bolo nele mesmo.
– Se moer no liquidificador, faça as próximas etapas do bolo nele, idem.
À mandioca moída, acrescente os ovos, o açúcar, o leite, a baunilha, e a manteiga derretida. Bata bem. (Caso não caiba de uma só vez, bata em duas partes).
Numa tigela, peneire os ingredientes secos. Agregue a mistura líquida a eles, com um fouet ou uma espátula de silicone. Acrescente a erva-doce e despeje na forma untada.
Asse em forno por mais ou menos 1 hora, ou até enfiar um palito e sair limpo.
Espere amornar para desenformar. Passe uma faca em volta da forma, e certifique-se que desprendei mesmo (Bolo de mandioca é meio grudento; pode às vezes ficar um pouco “colado” à forma e não desenformar direito).

==============================

Dicas da Lena:

– Por que eu “lavo” a mandioca na peneira, em água corrente?
– Para retirar o amido de pelo menos uma parte dela; o que confere o resultado mais fofinho e soltinho, que você vê na foto, na parte de cima do bolo! E a parte de baixo ficará mais cremosa, por causa do amido : )
– Pode usar casca de limão ralada, se preferir. No lugar da baunilha ou junto com ela.
– Se não gostar das sementes de erva-doce mas gostar do seu sabor, veja se encontra na sua cidade, uma especiaria chamada “erva-doce turca em pó”. É uma delícia!
– Pode também fazer em assadeira retangular. Nesse caso levará menos tempo para assar; uns 45 minutos. Corte em quadrados somente depois de completamente frio.

Print Friendly, PDF & Email